Pular para o conteúdo principal

Postagens

29 semanas - uma carta para você

E então estávamos a sós e um estalo veio a cabeça

"29-40 = 11"
11
Como assim 11?!?!?!

Até ontem tudo parecia distante e agora em 11 semanas teremos um novo ser envolto por nossos braços, que vai precisar de carinho, atenção, cuidados e ensinamentos...

Será que estamos prontos?
Ele vai se adaptar?
Nós vamos sobreviver?
Ele vai nos amar?


O que é fato, é que o amor já esta aqui, alias, sentimento esse que nunca nos abandona.

Essa contagem regressiva para te conhecer, apesar de nos deixar em parafuso nos nutre de bons sentimentos e força para encontrar os melhores caminhos que iremos trilhar com a sua chegada.

Tem tanta gente aqui fora louca pra te ver, pra te tocar e te amar... Nem sei como você vai lidar com essa quantidade de tios e tias corujas, pois papai e mamãe são abençoados com os melhores amigos que a vida podia nos dar. A família então nem se fala, sua irmã e seu irmão já fazem planos de aventuras, passeios e momentos que nos falta folego quando os ouvimos imaginando o …
Postagens recentes

Ricardo

Hoje meu coração que sempre soube andar por aí tem endereço fixo, tem dono, e batidas sincronizadas. E eu agradeço você, meu eterno, por esses 1099 dias de lutas em nossa vida fazendo a diferença, sendo quem faltava. Te amo

Uma noite
Um reduto  Uma conversa sobre shampoo... 
Já haviam passado-se 4 noites de conforto em seu peito, mas ainda me era apenas apenas o conforto, o bem estar. Ainda estava em fase de não importar, não apegar, mas também em não negar...
Foi fugindo e desconversando Foi correndo e insistindo Foi inesperadamente esperado
Ele começou com as perguntas sobre o que fazer amanhã, com quem gostaria de estar e as respostas todas traziam ele nos planos. E como quem respira ele disse: Então, se você não quer ficar com mais ninguém, quer namorar comigo?
... ... ...
O titulo desse post, o ressurgimento desse blog não se daria caso a resposta tivesse sido negativa. Sim, aceitei! Ainda como quem aceita um chocolate, é verdade, mas o problema é que esse era um daqueles Ferrero…

Dois tracinhos e tudo muda

Dia claro e uma duvida impertinente
dois tracinhos e tudo muda
é hora de sorrir
de espalhar as boas novas...
Mas e então, serei capaz?
parece até não lembrar mais
quanto tempo faz?
mas como andar de bicicleta
de amar a gente nunca esquece
Muda corpo
paladar
muda-se o mundo
pra quem vai chegar
sonhos infinitos
querendo se realizar
Mas outra tarde de calor
a noticia que não se quer ouvir
não há mais o que fazer
o vazio me consome
você se parte e me leva
jamais te esquecerei...






Because

Não existe, não persiste...


Nada volta como era.


Nem mesmos sonhos
tampouco voos
Brisa

Presente estagnado
melhor!
Futuro já passado...


Por diversas vezes me encontro frente a uma bifurcação onde tenho a oportunidade de escolher o caminho que vou seguir, onde consigo enxergar muito além do começo de cada trilha e como sempre, me deparo caminhando em asfalto impróprio... É como se meu organismo tivesse como fonte de vida a dor, o desespero e a total anulação do que me é benéfico.

Estou cansada. De dias, noites e todos os tic-tacs que o relógio dá. Preciso de pilulas, fórmulas e receitas que alterem esse "bem estar" que corrói pouco a pouco o que ainda me resta por dentro. Esse câncer que não se cura vem se mostrando cada vez mais forte, presente e inconsequente.

Nem Clarisse saberia...

Ausente

Não importa quanto tempo passe, não importa quão diferente seja o horizonte, no fim de tudo, basta apenas uma palavra maldita mal dita e tudo retoma. São tantos esses fantasmas que me perturbam, são tantas claras noites que afugentam o sono de quem precisa dele para esquecer... Meu passado não me condena, mas me atormenta.

As mesmas vozes, os mesmos rostos, o mesmo tudo.

Mais um vez, a tal felicidade que parecia se aproximar para ficar, dá licença para que esses monstros retomem os meus dias. Não existem trancas para essa porta.

Dias de escuridão se aproximam e minha lanterna não consegue mais clarear meu caminho.

Viver caminhando sobre pedras que já chutei...

De que vale tantos sonhos se os dias os tornam pesadelos?

This is not my place

Adaptações e muitas mudanças...

Coração que não sabe por onde anda
Fantasia que não se enquadra nas alegorias
Não desfila... incrimina
Transformo confusões em confissões
"sou poço seco e mesmo quando cheio, transbordo em solidão"
Outra noite, outra máscara... a mesma máscara
Construindo castelos de fina areia
Fim de tarde, brisa leve e tudo se vai

E essa loucura não tem hora para acabar...





Visto de fora

O olhava como fácil presa
Não lhe dirigiu a palavra
Avançou-lhe a boca e consumiu...
Seu calor,
seu pudor

Chamas internas
Gemia, pulsava, tocava
Unhas que se cravam em costas
Ofegante...
Respira

Já em leito de boêmio
Se conduz em afagos
Espasmos
Adormece, amanhece
Mais um dia

Não esquece...