Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2008

um longo trago...

boa viagem...

Relaxe seu mente, visualise teu caminho, em meio dele ache aquela pracinha que sonhavamos quando ainda novos.
O banquinho, os passaros, e o mesmo vendedor de pipocas...
Algumas poucas crianças brincam na caixa de areia, e estamos logo alí, deitados na grama verde. Ouvimos os risos de um casal que brinca de pega-pega e caem metros a nossa frente, se olham apaixonados e se beijam. Nos entreolhamos e suspiramos.
Ainda estamos alí, abraçadinhos... nossa pele já não é mais tão lisa como outrora fora, nem cor em nossos cabelos existe, mas estamos alí, juntos. Por hora fechamos os olhos, apertamos as mãos e sorrimos por lembrar de fatos que marcaram nosso passado.

Presente hoje, ontem e sempre.

Foda-se a sua careta :P

Essa frase "foda-se a sua careta" nada mais é que uma frase bem da chatinha que minha irmã anda dizendo muito últimamente desde a viajem de formatura dela...

Porem, vai o meu FODA-SE A SUA CARETA, pra todos aqueles que fazem careta torcendo o nariz perante minhas atitudes e atitudes dos que estão do meu lado.

"Não to aqui pra facilitar a vida de ninguém", essa sou eu... Quando eu tinha meus 13, 14 anos, achava que eu não fazia parte do mundo das pessoas normais, sempre fui a "ovelha negra" da familia, até que aos 17 eu engravidei... ganhei todos os meritos pelo titulo oficial de ovelha negra.

Hoje com quase 24... dez anos se passarem, minha familia continua achando que eu sou a "ovelha negra", mas todos eles respeitam minha vida, criticam por achar que eu deveria me render aos "capitais" e vender minha dignidade por qualquer valor, que na opnião deles é a forma correta de viver, não os culpo... nem todo mundo consegue ser o que reamente q…

Pressa de viver... viver de quê?

Sexta-feira, estou em casa... tendo um dia, mediante toda sociedade suja e imbecil, "normal", estou sóbria, estou de pijamas já, trabalhei durante o dia, cozinhei, lavei roupas...

Falta apenas o marido chegar com bafo de "poucas-doses-de-infelicidade"... Como alguém pode realmente achar que isso é o correto?

Eu tô de saco cheio de tanta hipocrisia, tantos julgamentos, quando na verdade todos, sem excessão alguma queriam ter a mesma vida que eu tenho! FODA-SE os "pré-conceitos" ditados e que aos que se lamentam dizem: "mas o mundo assim desde o inicio, ninguém mais consegue mudar isso". Eu não aceito isso, eu não quero isso, e NÃO faço isso.

Cansei de ser julgada por pessoas que no fim dizem: "eu queria poder fazer o que você faz, mas eu tenho consciencia de que não posso, porquê a vida não é fácil assim"
Vida fácil???
Acha que é fácil dormir poucas horas por dia, não ter final de semana, muitas vezes não conseguir nem ter vida pessoal????

En…

"desacelerar os passo, apressar nos tragos"

"Tudo isso é poesia... basta ter alma para ver."

Cercada pelas pilastras de meu medo
abaixo dos trilhos de meu adeus
será dessa forma mesmo que deveriamos estar?
luzes brancas feito velas
uma em cada ponta
velam o corpo no asfalto negro

Sempre tarde, nunca cedo
sempre assim quando chego
idéias do "amor-sem-fim"
vomitadas em canto qualquer
"sinceridade dos bêbados"
a promessa de utopia se estica no sob o balcão

...

Fim da Balada sem fim - parte 1

Uffa, finalmente!

é certo que o post não caberá nesse post...

Terça-feira, 17h40, dia cinza e de muita correria.

Finalmente consigo alguns minutos de folga no "maravilhoso mundo dos msn's" e venho até aqui tentar contar como foi que sobrevivi a 5 eventos em 3 dias.

O Pacianotto já fez isso e postou aqui: http://www.adrianopacianotto.blogspot.com e http://www.fotolognet/jurassicparty

assino embaixo da "resenha" que ele fez sobre nosso fds, mas tb. escreverei aqui minha versão.

Sexta-feira, acordei mega tarde, mas me mantive deitada ainda... após varias tentativas de comunicação com o mundo exterior sem sucesso, pois eu era um ser incomunicavel decidi mandar a "preguiça" embora e me levantei. Por volta das 17h00 saí de casa para encontrar e encaminhar meu querido e "super-herói" Adriano aos eventos que estaríamos presente nessa noite.

Por volta das 18h30 após um transito infernal na marginal, chegamos no Hangar 110, onde acontecia o Zona Punk Girls T…

Fim da Balada sem fim - parte 2

"Oiiii, são 15 pras duas, bom dia!"
Vontade de responder: "bom dia? quinze pras duas??? porra! não tem nem seis horas que comecei a dormir..." Enfim, banho e Ska.

Os eventos na Ska, infelizmente não tem sido nada surpreendentes... a mesma coisa de sempre, as bandas atrasam; as bandas cancelam; o equipo da pau; a equipe estressa. O Aditive fechou o dia com um acústico que apesar de ter agradado todos os que alí estavam, na minha opinião poderia ter sido, sei lá, talvez um pouco mais "animado" ou que todos os integrantes da banda tivessem comparecidos, enfim... o importante é que a galera que ficou até o final gostou!

Ainda pilhada, fechamos a casa e fomos tomar a 1ª e merecida breja do dia... encontramos o Bruno e um papo bacana começou que só acabou por volta das quatro da manhã. Dessa vez um táxi e minha querida casa, de onde postei a última vez "ainda viva".

Fim da Balada sem fim - parte 3 final

Domingo...
Confesso que o domingo tinha um "Q" de especial assim como a sexta-feira. Foi o show dos "meus queridins" Falante, banda que eu tive oportunidade de trabalhar por um ano junto e que me ensinou muita coisa.
Cheguei na ska por volta das 14h00, entrei na loja, liguei os computadores, imprimi listas e toda a rotina normal que faço durante qse 3 anos de Ska Skate Rock, fui interrompida várias vezes por bandas e funcionários, que tb.não me é novidade alguma.
Pra "variar" a 1ª banda do evento cancelou, a segunda não estava completa e assim vai... abri a casa como de costume, e, mesmo com todo stress por me sentir um tanto quanto "constrangida" dentro de uma casa que sempre me senti tão bem e disse por muito tempo com um certo orgulho de ser minha "segunda casa" dei inicio a mais festival de bandas na Ska.

Aguardando ansiosamente sim, a chegada dos Falante que fechariam a noite da Ska e haviam me prometido um show espetacular, junto com…

simplesmente um "eu também"

"Feche os olhos agora, imagine onde você quer estar... agora imagine quem você quer que esteja aí, agora vai lá e faz com cada um o que você quer realmente fazer.... escuta a música e viaja...

Era um campo verde, tinha barulho de cachoeira e o cantar de passarinhos... era uma quarto a meia luz, uma cama gigante... era uma estrada sem fim, um dia cinza... uma sala sem vazia, toda iluminada...eram vários lugares, e em cada um deles existia um alguém, e você estava de mão dadas comigo em eles, fiz tudo o que queria com eles, falei, briguei, amei, idolatrei... e finalmente começamos a caminhar para o lugar que você estava, esse era um misto de todas as paisagens possíveis,lá toava a mais bela melodia do mundo, e se resumia em "um quarto rosa com um buraco na parede"...
Sorriamos feito dois adolescentes que não se preocupavam com nada...foi perfeito demais, foi puro, foi um simples "eu também", abri os olhos, e sim, você estava lá (L)"

Tic-Tac... insônia

Duas horas e trinta e nove minutos da madrugada de uma terça-feira única, apaixonante, inesquecível, vagarosa, incompreendida, trêmula, sensível, cinza, rancorosa, melancólica, sedutora, e fria.

Fria feita tuas mãos que procuravam meu calor na noite passada, sedutora feito nossa imagem que o espelho no teto do hotel barato refletia, melancólica feito tuas "quase lágrimas" de desabafo na mesa do boteco imundo que freqüentamos sempre que o porre é necessário, rancorosa feito teu coração ontem, que só procurava a compreensão que apenas eu em tuas próprias palavras sei dar à ele. Cinza como a fumaça que saia de nossas bocas, nos intervalos de momentos que nossos corpos se tornavam um só, sensível feito nossa pele após longos tragos do baseado que foi consumado em meio nossa "humilde convicção de estar fazendo apenas o que desejávamos" . Trêmula feito meu corpo a cada vez que atingia o ápice do prazer por ter teu corpo, que me prensava, me arrancava suspiros de quero m…

Noite longa...

Tua voz... sabia exatamente tudo o que você precisa/queria naquele momento, podemos chamar de "egoísmo inconsciente" minha atitude perante a tua. Não é fácil dizer-lhe não, quando vejo teus olhos refletidos ao me olho no espelho.

"Faça sempre o que tiver vontade".

Difícil é em meio a vontade, equilibrar tudo com a razão, mas fui racional, na verdade eu sempre sou, sempre sei exatamente onde cada atitude minha me leva. Coincidência, destino, divino, puff. Chamo de lei da atração, ok, pode não ser o certo, pode e certamente não sera para sempre, mas é por hoje, foi por ontem e amanhã nem eu mesma sou capaz de dizer algo.
Dignidade tb. tenho, e isso é muito claro, não é por fraqueza ou puro tesão, é simplesmente pelo fato de ser, de ter, de existir.

Critique minhas atitudes, meus pensamentos, minha falta de pudor... tento ser justa, e, acredito estar sendo. Não posso ser responsável por histórias criadas em meu redor, tão pouco ser culpada por ser um dos personagens da me…

Quase sempre assim...

Ficam as certezas de que nunca será igual
cada dia, cada noite, cada toque...
Tuas poucas palavras
minha eterna compreensão

E no fim de tudo estamos sempre ali
despidos da vergonha
nús de pudor
entrelaçados em chamas de prazer

Não apenas por sexo
sabemos o que nos cabe...
Plena confiança, em você, em mim
Por nós, entre nós.

Desculpas...

Talvez uma bela taça de vinho
E uma brisa alucinógena
Que assim seja...
Teu silencio, minha aceitação.

Essa tarde fria, esses ventos...
Insistem em soprar
sempre lados diferentes
A pela resseca

Rachaduras em labios de"nunca-mais-tua-saliva"
Arrepio na pele de "nunca-mais-teu-calor"
Por que só na simplicidade de nossos momentos eu consigo ser feliz?
Por que quem pode me dar o mundo não me ganha com um simples "nunca mais"?

...

Fim de tarde...

"afagos, afagos, afagos, afagos..."

e agora muito sono, queria "afagos" pra dormir...
é, queria sim!
cansada demais pra digitar.

"se num mi ama, num me liga, num me gosta, num me fala, num me nada" ;)

Difícil ouvir tua voz no fim de tarde
Tarde cinza que ficou ensolarada
Difícil dizer não nos teus olhos
Que vi no reflexo do espelho

...



fim

Indefinido

Um agasalho, nesta noite fria
aquecendo um coração gelado
as tuas palavras... tão bem ditas
um único momento
"liberta!"

Rainha de quê?
Rainha sem trono e sem reinado

Pé na porta e soco na cara - irônico isso puff puff puff

É, e foi exatamente essa frase que surgiu em meus pensamentos... "pé na porta e soco na cara", é irônico eu me utilizar dela... apesar de ser uma mera frase (de muito impacto, fato) de uma musica do Matanza (banda animal, fato2), ela surge na minha vida numa circunstancia chata (desesperadora ao extremo, fato3), onde Maria gosta de João, e João gosta de Josefa, e a Josefa, nas palavras do João decide não gostar mais de Pedro e olhar pra João, meio complexo isso, né? Fato, rs 4.

Enfim, eis que nesta bela tarde (não faço idéia se era ensolarada, pois não coloquei nem o naiz pra fora de casa hoje, isso inclui só ter olhado pela janela atras das cortinas quando o dia já havia escurecido) estou eu com minhas "dissimulações" em textos virtuais a fora quando derrepente... PÉ NA PORTA E SOCO NA CARA, A CASA CAIU IRMÃO, É A POLICIA, MÃO NA PAREDE, ENCOSTA, ENCOSTA, ENCOSTA!!! (juntei todas as frases usadas para dizer: "tomei um enquadro").

Aí surge a pergunta: "…

I'm so Sorry... because i lost control again

The Smiths - I'm So SorryWhy do you come here?
And why do you hang around?
I'm so sorry
I'm so sorry

Why do you come here?
When you know it makes things hard for me?
When you know, oh
Why do you come?

Why do you telephone? (Hmm...)
And why send me silly notes?
I'm so sorry
I'm so sorry

Why do you come here
When you know it makes things hard for me ?
When you know, oh
Why do you come ?

You had to sneak into my room
Just to read my diary
"It was just to see, just to see"
(All the things you knew I'd written about you...)
Oh, so many illustrations
Oh, but
I'm so very sickened
Oh, I am so sickened now

Oh, it was a good lay, good lay
It was a good lay, good lay
It was a good lay, good lay
Oh
It was a good lay, good lay
It was a good lay, good lay
Oh, it was a good lay, good lay
Oh
Oh, it was a good lay
It was a good lay
Oh, a good lay
Oh, it was a good lay
Good lay, good lay
Oh
It was a good lay
It was a good lay

Devaneios, minha imagem, teu amor, minha fala, teu perdão

ok, vamos lá... acho que ainda consigo escrever o que me passou pela cabeça nesses últimos dias, e, certamente daria um belo poema. Como sofro de perda de memoria recente é fato que não escreverei nada com versos, ou rimas.

Quinta-feira com umas na cabeça, a mente podre e a carne fraca, resultado: mais uma noite pra ficar na lembrança
"algumas palavras...
teu olhar que me despia
teu corpo sobre o meu
insanidade, descontrole
te afogo
me afogo..."

Sexta-feira, por alguns instantes pensei em tudo, logo pela manhã desejei tudo o que queria... resultado:
"teu sono profundo
tua respiração
respiramos o mesmo ar
vivemos sonhos diferentes
não há mais nada a lhe falar"

Sábado... mais uma vez logo pela manhã desejei tudo o que queria e dessa vez fui além, imaginei o que podia querer, resultado:
"faço parte da utopia alheia
mas sou simplesmente eu
cheia de sonhos e desejos
vontade de um fim de tarde com alguém
diz de meus desejos realidade nos últimos dias
até quando???"

Domingo, não des…